Teatro

Fito Paez

O mas influente músico argentino de sua geração, Fito Paez esteve no Teatro do SESI em 13 e 14 maio de 2005 para duas apresentações.  Ele esteve na cidade para lançar seu CD e DVD – Naturaleza Sangre, do selo gaúcho Orbeat Music.

O  cd com participações de Rita Lee e o roqueiro argentino, compositor e guitarrista, Charly Garcia, a quem considera um irmão, e uma importante influência na sua vida.

Na época, Fito disse que se sentia em casa quando está no Rio Grande do Sul e que está honrado em poder apresentar seu trabalho no Brasil.

Sobre a nova gravadora, ele explica que, como tudo na vida, é muito bom ser ‘independente’ e trabalhar com um selo independente, ‘sem precisar aguentar os aborrecimentos característicos de grandes gravadoras’, diz.

Sobre as fotos que ilustravam o cd, Paez explicou que são de ex-namoradas, tias, ex-musas e ex-mulheres. “São diferentes momentos de minha vida”.

No seu show em Porto Alegre, ele mostrou todas as faixas do último cd, além de hits como Circo Beat, Mariposa Tecknicolor, Ciudad de Pobres Corazones, entre outras.

O músico contou que desde criança seu pai escutava em Rosário, na Argentina, a música Águas de Março, de Tom Jobim, o que fez nascer uma admiração pela música brasileira.

“A música brasileira é muito sexy e muito profunda quando quer mostrar algo da vida”, observa.

Ele já se apresentou com Herbet Vianna, Paula Toller e no momento, escutando e lê muito Chico Buarque de Hollanda.

Paez encerrou comentando que atualmente é fraca a safra de músicos e compositores argentinos, que em outros momentos, foi tão fértil.

Sobre a carreira, Fito Paez diz que aprendeu muito e que “todos esses anos ficaram guardados em caixinhas – são fotos e objetos guardados, ordenados e momentos de uma história com muitas implicações”, finaliza.