ES EN
Teatro

“GIL”  é o nome da nova criação do Grupo Corpo. 

Com trilha especialmente composta por Gilberto Gil e coreografia de Rodrigo Pederneiras

As trilhas dos espetáculos do Grupo Corpo já foram assinadas por embaixadores da música brasileira como Caetano Veloso, Tom Zé, Arnaldo Antunes, João Bosco e Zé Miguel Wisnik. Diante desse time, chega a surpreender que, até hoje, a companhia mineira ainda não tivesse escalado Gilberto Gil para integrar o time de compositores de seus balés.

Essa lacuna começa a ser preenchida nesta quarta-feira com a estreia de “Gil”, que também abre a Temporada de Dança do Teatro Alfa. Em geral, os espetáculos do Corpo são nomeados no último minuto. Este, por sua vez, foi batizado já de partida pelo diretor geral do grupo, Paulo Pederneiras.

O título entrega a proposta de exaltação da trajetória musical do artista baiano. O desafio do coreógrafo Rodrigo Pederneiras, portanto, foi traduzir esse legado em dança. “Não se tem muita ‘pega’ para fazer um trabalho assim. É abstração total!”, diz ele.

Embalado pelo que explorou em “Gira” (2017), no qual pesquisou a umbanda, o coreógrafo encontrou o estalo para a nova criação em gestos associados a Xangô, orixá de Gil no candomblé. “Achei legal porque são movimentos que parecem um chamado para a luta, e tudo o que Gil deu e criou para esse país demonstra que ele é um lutador”, completa.

Criada ao lado de Bem Gil, a trilha foi estruturada em quatro partes que incorporam fragmentos de canções já conhecidas e mergulham no caldeirão de influências sonoras em torno do qual gira a obra musical do homenageado. “Ele chama um tema antigo e, de repente, saem coisas completamente inesperadas. Ele se renova a cada momento, é fenomenal”, elogia Rodrigo, para quem Gil é a “síntese da cultura brasileira”.

O resultado é um trabalho totalmente para cima, que divide a noite com “Sete ou Oito Peças para um Balé” (1994), criada a partir da trilha composta por Philip Glass em parceria com o Uakti. “Fizemos com um carinho danado, e acho que deu certo. Espero que ele goste”, torce o coreógrafo.

GRUPO CORPO

GRUPO CORPO, reconhecidamente a mais importante companhia de dança do país, tem por hábito estrear uma nova obra a cada dois anos, sempre com música especialmente composta para o espetáculo. A grande estreia deste ano traz como autor da trilha sonora, um dos maiores ícones da música brasileira: Gilberto Gil. O espetáculo, nomeado GIL em homenagem ao músico, será apresentado em programa duplo ao lado de “Sete ou Oito Peças para um Ballet” – obra de 1995, cuja trilha foi criada por Philip Glass em parceria com o grupo UAKTI.

PROGRAMA

SETE OU OITO PEÇAS PARA UM BALLET
coreografia: RODRIGO PEDERNEIRAS
música: PHILIP GLASS | UAKTI
cenografia: FERNANDO VELLOSO
figurino: FREUSA ZECHMEISTER
iluminação: PAULO PEDERNEIRAS

GIL
[estreia 2019]
coreografia: RODRIGO PEDERNEIRAS
música: GILBERTO GIL
cenografia: PAULO PEDERNEIRAS
figurino: FREUSA ZECHMEISTER
iluminação: PAULO PEDERNEIRAS e GABRIEL PEDERNEIRAS

Nos dias 02 e 03/11/2019 – Teatro do SESI

Ingressos em breve e mais informações em: http://www.grupocorpo.com.br/pt-br/agenda

 

Como chegar